Nossos Canais  

Data da publicação

Compartilhe:

Direitos sexuais e reprodutivos, a luta antipunitivista e o campo religioso no Brasil | Boletim #06 2024

Sexta-feira, 22 de Março de 2024

Olá! Tudo bem? 

Nesta semana divulgamos um importante material produzido pelo ISER, o relatório sobre direitos sexuais e reprodutivos. Ele é composto por diferentes artigos que relacionam esse tema com a luta antipunitivista e o campo religioso do Brasil.

📩 Você vai ver também neste boletim: Organizações religiosas realizam eventos sobre resistência nos 60 anos do golpe militar no Brasil; Diretora do ISER concede entrevista pela Globo News sobre a dimensão política dos segmentos evangélicos; Organizações da sociedade civil se reúnem para discutir os caminhos para Conferência da ONU em 2025; Diretor Ronilso Pacheco fala sobre a importância da religião no debate sobre “Democracia, Equidade e Enfrentamento ao Autoritarismo” que ocorreu em Brasília.  


Comunicações do ISER nº 75 – Direitos sexuais e reprodutivos, a luta antipunitivista e o campo religioso no Brasil.

Em sua história, o Instituto de Estudos da Religião – ISER desenvolveu pesquisas e buscou ampliar o questionamento dos processos de criminalização que atingem principalmente as mulheres negras e da classe trabalhadora, com objetivo de contribuir para o debate sobre a questão do aborto, sobretudo considerando os embates no campo religioso. Buscando dar continuidade ao trabalho já desenvolvido, e considerando as urgências da atual conjuntura, a presente publicação visa contribuir na luta pela dignidade de todas as pessoas que, por decidirem não gestar, têm suas vidas atravessadas pelas agências penais de Estado; assim como daquelas que têm o exercício pleno da maternidade/paternidade interditado pela violência do cárcere.

Para dar conta desse desafio, esta edição de Comunicações do ISER contou com a competência das pesquisadoras e ativistas: Maria José Rosado (Zeca), Emanuelle Góes e Lusmarina Campos Garcia. As três organizadoras convidadas, em diálogo com a equipe da área de Direitos e Sistema de Justiça ISER, compuseram um mosaico plural de textos que explicitam as tensões e os possíveis e potentes diálogos entre as demandas por direitos sexuais e reprodutivos, a luta antipunitivista e o campo religioso no Brasil.

 


Organizações religiosas realizam eventos sobre resistência nos 60 anos do golpe militar no Brasil

Em 5 de abril próximo, acontecerá na Cinelândia, no Centro do Rio, um ato público que recordará a resistência religiosa nos 60 anos do golpe militar no Brasil,  de 1964. O ato, aberto ao público, é promovido por onze organizações não governamentais e coletivos.

No programa ocorrerá uma concentração com ato simbólico nas escadarias da Câmara de Vereadores (Praça Floriano, Centro), às 17h30, seguida de caminhada para a Sala de Sessões do Centro Cultural da Justiça Federal (CCJF, sede do antigo Supremo Tribunal Federal,, onde serão realizados os debates, às 19h.

Na ocasião será recordada a resistência de grupos e lideranças religiosas à ditadura que durou 21 anos, entre cristãos, católicos e evangélicos, tradições de matrizes africana e indígena. O encontro será também oportunidade de enfatizar que esta resistência permanece ativa, diante das práticas repressivas e persecutórias que sobrevivem entre instituições do Estado.

Os grupos organizadores, com o apoio de igrejas, coletivos e mandatos parlamentares com identidade religiosa, produziram a seguinte carta-manifesto, que está aberta para receber apoios de indivíduos e de outras organizações e coletivos, clique no link abaixo para acessar.


“População evangélica quer política pública” : Diretora Executiva do ISER Carô Evangelista é entrevistada pela Globo News.

Em entrevista para o J10, da @globonews, @caroevangelista, pesquisadora e diretora executiva do ISER, analisou as últimas medidas do governo na relação com o campo evangélico.


A importância da religião no debate sobre “Democracia, Equidade e Enfrentamento ao Autoritarismo”

No mês de fevereiro, o diretor de programas do ISER Ronilso Pacheco esteve em Brasília participando do evento “Democracia, Equidade e Enfrentamento ao Autoritarismo”. Ronilso faz uma análise que aponta sobre a compreensão sobre direitos humanos e liberdade de expressão e a disputa de narrativa entre os campos progressistas e conservadores. 


Pré COP 30 – Organizações da sociedade civil se reúnem para discutir os caminhos para Conferência da ONU em 2025.

 Foto: Phelipe Reis, Renovar Nosso Mundo

Belém é a capital da COP 30, a conferência da ONU sobre mudanças climáticas, a ocorrer no final de 2025. É a primeira vez que uma COP ocorre no Brasil e o estado amazônico do Pará, com suas riquezas e paradoxos ambientais, será o principal espaço desse evento internacional. Por causa disso muita gente tem se mobilizado para ações na COP, tanto governos quanto empresas e sociedade civil. Como parte deste último segmento o ISER esteve em Belém participando de um encontro rico em diálogos sobre mudanças climáticas a partir do contexto amazônico e trocas de experiências entre vários grupos que enfrentam esse desafio.

Organizado pelo Movimento Renovar o Nosso Mundo o encontro intensivo ocorrido nos dias 14 e 15 de março reuniu cerca de 50 destacadas lideranças de igrejas cristãs, representantes de organizações religiosas de diferentes denominações, tanto cientistas, ambientalistas, ativistas climáticos e gestores públicos.

Clemir Fernandes, representando o ISER/Fé no Clima falou em uma mesa com Hannah Balieiro (Instituto Mapinguari), Leon Souza (Casa Galileia) sob a mediação de Simone Vieira (Tearfund) sob a temática geral do evento. Abordando conjuntura e contexto e levantando a voz contra injustiças socioambientais para ampliar sensibilização, informação, capacitação, controle social, incidência pública e mobilização quanto às mudanças climáticas, em particular para a COP 30.

Uma agenda com objetivos e ações foi traçada para o grupo seguir ativo e ampliando a rede até a realização da Conferência em novembro de 2025. Uma dessas ações é a Vigília Inter–religiosa pelo Clima, convocada pelo ISER/Fé no Clima, a ocorrer de maneira descentralizada em diversas regiões do Brasil até a grande Vigília durante a COP em Belém, PA. 


Para receber o boletim quinzenalmente no seu e-mail, cadastre-se aqui!